Será que plano de saúde cobre cirurgia plástica? Saiba em que situações os planos são obrigados e cobrir esse tipo de procedimento.

Como sabemos, cada plano de saúde possui características próprias no que diz respeito à cobertura, termos e condições de uso. No entanto, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determina algumas regras para cobertura assistencial. Entre elas, inclui-se a cobertura de procedimentos reparadores, ou seja, cirurgias plásticas com finalidades médicas e não estéticas, como a reconstrução pós-acidentes ou a correção de condições congênitas. Entenda:

 

Qual é a diferença entre os tipos de cirurgias plásticas?

Para entender como funciona a cobertura dos planos e em quais casos o plano de saúde cobre cirurgias plásticas, acompanhe:

Primeiramente, é essencial compreender a distinção entre a cirurgia plástica estética e a reparadora. Os procedimentos cirúrgicos estéticos têm o objetivo de corrigir a aparência e as imperfeições que não afetam a saúde física do indivíduo. Geralmente, não são cobertos pelos planos de saúde. Como exemplos, podemos citar a mamoplastia de aumento ou redutora e a abdominoplastia.

As cirurgias plásticas reparadoras têm o objetivo de ajudar o paciente a reconstituir o corpo após doenças ou acidentes, a fim de recuperar funções, melhorar a autoestima e a qualidade de vida. Quer exemplos? A reconstrução mamária após uma mastectomia, a correção de deformidades faciais devido a traumas ou o tratamento de cicatrizes prejudiciais à saúde. Esses procedimentos são elegíveis para a cobertura dos planos de saúde.

Para se certificar se seu plano de saúde cobre cirurgia plástica reparadora, é importante verificar diretamente com seu corretor ou seguradora. Isso porque as políticas de cobertura estão sujeitas a mudanças e uma informação válida no passado pode não ser mais correta atualmente. A linguagem utilizada nos documentos de cobertura também é importante. Termos como “reconstrução” ou “melhoria” podem fazer toda a diferença na elegibilidade do procedimento.

Tem dúvidas? Nossa corretora pode te ajudar!

 

Quais são os requisitos para a cobertura de uma cirurgia plástica?

De acordo com a ANS, as cirurgias reparadoras devem ser cobertas pelos planos de saúde. São cirurgias com o objetivo de reconstituir uma parte do corpo por questões médicas. Entre elas, estão:

  • Reconstrução de mama: para mulheres que realizaram mastectomia com diagnóstico de câncer de mama e demais lesões traumáticas;
  • Cirurgias bariátricas: quando comprovada obesidade mórbida do paciente;
  • Redução de mamas: nos casos em que o tamanho das mamas afete diretamente a saúde do paciente, por exemplo, levando a problemas na coluna;
  • Cicatrizes, queloides, queimaduras: com a finalidade de reparar consequências de um problema que pode influenciar bastante no bem-estar do paciente;

É importante observar que, mesmo quando um plano de saúde cobre as cirurgias plásticas reparadoras, ainda pode haver requisitos rigorosos para a aprovação do procedimento. Geralmente, os profissionais precisam documentar detalhadamente a necessidade médica da cirurgia e pode ser necessário obter aprovação prévia antes de realizar o procedimento.

 

Como proceder, então

Como vimos, não há uma fórmula única para a cobertura de cirurgias plásticas pelos planos de saúde – ela depende de diversos fatores. A chave para evitar transtornos com informações desatualizadas é se informar diretamente com sua empresa de seguros.

Nós também estamos aqui para te ajudar! Entre em contato com nossa equipe e faça uma cotação!

Chame no WhatsApp!

Notícias relacionadas

30/01/2024

Quais são as desvantagens do consórcio imobiliário?

Leia mais trending_flat
23/01/2024

Seu plano de saúde foi cancelado? Saiba o que fazer

Leia mais trending_flat

Fale com a Carol Flor
Entre em contato pelo
WhatsApp e tire suas
dúvidas.