Você ainda tem dúvidas sobre a carência nos planos de saúde? Saiba como ela funciona e quais são as suas regras!

Carência é um termo que surge com frequência quando falamos em plano de saúde. A expressão refere-se ao período de espera que um novo beneficiário deve cumprir antes de ter acesso a determinados procedimentos e coberturas oferecidos pelo plano.

Embora seja uma característica comum, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o assunto. Quer saber exatamente o que é a carência, por que ela existe e como funciona? A gente explica!

 

O que é carência no plano de saúde e por que ela existe?

A carência é um período de espera estabelecido pelas operadoras de planos de saúde como uma forma de proteção contra o uso imediato e intensivo dos serviços por parte dos novos beneficiários. Isso ajuda a equilibrar os custos e evitar adesões apenas quando as pessoas precisam de tratamentos específicos, o que poderia impactar negativamente o sistema.

 

Como funciona a carência nos planos?

Os prazos de carência no plano de saúde podem variar de acordo com o procedimento ou a cobertura específica. Geralmente, eles são divididos em três categorias:

  • Carência para procedimentos básicos: engloba consultas médicas, exames simples e procedimentos ambulatoriais. O período de carência para esses serviços costuma ser mais curto, geralmente varia entre 30 e 90 dias.
  • Carência para procedimentos especiais: inclui cirurgias e exames mais complexos, geralmente com um período de carência maior, que pode variar de 90 a 180 dias.
  • Carência para partos e doenças preexistentes: são as situações com carências mais longas. No caso dos partos, a espera pode ser de até 300 dias, enquanto as doenças preexistentes podem requerer um período de carência de até 720 dias.

Convênio médico em Santos: qual o melhor?

 

Migração entre operadoras e tipos de planos

Quando alguém decide trocar de operadora de plano de saúde, também é importante considerar o período de carência. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determina que, na migração entre planos de saúde, os períodos de carência já cumpridos pelo beneficiário devem ser considerados e utilizados pela nova operadora. Isso significa que, se você já cumpriu parte da carência no plano de saúde anterior, esse tempo não será perdido e deverá ser descontado do período de carência do novo plano.

Vale lembrar que, quando se trata da migração de plano de pessoa física para pessoa jurídica, as regras da ANS também se aplicam. Isso significa que, se você estava em um plano de pessoa física e passou para um plano empresarial, os períodos de carência já cumpridos devem ser considerados, desde que a mudança ocorra dentro de um prazo estabelecido.

Em resumo, a carência no plano de saúde é uma medida de espera que tem como objetivo equilibrar o uso dos serviços pelas operadoras e evitar um alto volume de procedimentos imediatamente após a adesão. Os períodos variam de acordo com o tipo de procedimento e cobertura. Portanto, ao considerar mudanças em seu plano de saúde, é fundamental entender como a carência afeta suas opções para que seja feito um planejamento adequado.

Quer saber mais sobre a carência nos planos de saúde? Entre em contato com a equipe da Carol Flor Corretora de Seguros!

Notícias relacionadas

30/01/2024

Quais são as desvantagens do consórcio imobiliário?

Leia mais trending_flat
23/01/2024

Seu plano de saúde foi cancelado? Saiba o que fazer

Leia mais trending_flat

Fale com a Carol Flor
Entre em contato pelo
WhatsApp e tire suas
dúvidas.